Fintech de cartão de crédito faz feirão de renegociação; veja outras formas de sair das dívidas

A dívida no cartão de crédito é conhecida por ser uma das mais caras do mercado, com juros que superam 300% ao ano. E mesmo com esses números, há muita gente que se enrola com essa linha de crédito. Pensando nessas pessoas, a fintech Trigg promoverá um feirão para a renegociação de dívidas.

O feirão virtual acontece até o dia 30 de junho. Nele, os clientes vão receber comunicações direcionadas e as informações de contato para renegociarem seus débitos. De acordo com a companhia, cada cliente receberá uma proposta personalizada, de acordo com o seu perfil.

Ainda segundo a empresa de cartões, os principais acordos serão: o pagamento de uma entrada com desconto e até 48 parcelas do restante da dívida; parcelamento do débito com taxas reduzidas que cheguem até 1,99% ao mês; pagamento apenas do valor do limite que aquele cliente tem no cartão (sem juros ou taxas) ou o pagamento de um valor específico para acabar com a dívida diretamente e de forma instantânea.

A Trigg é conhecida por oferecer cartões com cashback. O termo em inglês que significa “dinheiro de volta”, e nesse sistema, parte do que é gasto pelo cliente em algum cartão ou conta digital é “devolvido” para ele e pode ser abatido nas faturas seguintes.

Para se ter uma ideia dos custos do cartão de crédito no Brasil, quem entra no rotativo (linha pré-aprovada para quem paga menos do que o valor total da fatura) paga juros que ultrapassam os 350% ao ano. Já o chamado “parcelado no cartão”, no qual o cliente divide o pagamento da fatura justamente para não cair no rotativo, tem condições um pouco melhores, mas passa longe de ser barato: os juros superam os 175% ao ano.

Como sair das dívidas
A Trigg não é a única empresa que faz feirões de renegociação de dívidas. Não é difícil encontrar ações do tipo promovidas por bancos ou até mesmo por birôs de crédito como o Serasa Experian e Boa Vista SCPC.

Em março deste ano, período conhecido como “mês do consumidor”, aconteceu o Mutirão Nacional de Negociação de Dívidas e Orientação Financeira, em que os bancos e membros da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e o Banco Central orientavam os consumidores a renegociarem suas dívidas por meio de uma ação promovida no site consumidor.gov.br.

Além dos feirões, no entanto, existem fintechs especializadas na renegociação de dívidas. É o caso da QueroQuitar, que promove feirões com parceiros como Santander, BMG, BV, Pan, Original, Credz, Zema, Avenida, Vivo,Tricard, Agibank, entre outros.

Existe ainda a plataforma Pagou Fácil, que oferece uma ferramenta gratuita que ajuda os brasileiros a renegociarem suas dívidas e tem parceria com mais de duas mil empresas, como grandes bancos, como o Bradesco, e varejistas como as Casas Bahia.